quinta-feira, maio 19, 2005

Xiri em Fátima

Já não moro nas sobrancelhas do Dr. Resende. Fartei-me do ginecologista e da sua vida suja.
Na sexta-feira passada, aproveitei a viagem do Resende para Freixo de Espada a Cinta e despedi-me do medico. Agora estou noutra!!! O Resende parou na área de serviço de Pombal para meter gasolina, mijar e esfregar írudoide no hemorroidal. Na box do urinol dos homens demorou-se mais um bocadinho que o normal e eu mudei de casa.
Nem tive de saltar. Mudei-me directamente da sobrancelha esquerda do Dr. Resende para os pelos púbicos do Cónego Vieira. È por isso que agora estou aqui em Fátima a saltar em cima de teclado HP no gabinete de impressa do episcopado de Leiria.
Larguei eu um ginecologista de Santa-Maria porque estava farto de javardeiras e vim parar a um sitio onde a promiscuidade é muito pior!!! Ou então tenho azar com os meus hospedeiros…
Então é assim, como dizem as vedetas do big brother. O Cónego Vieira saiu-me ainda mais putanheiro que os amigos do Riky Martin… O cabrão do padre nos seus quarenta e cinco anos pesados e gastos é um candidato ao premio Nobel da devassidão... Quem diria...dispara sobre tudo o que mexe:
Mal saiu da auto-estrada parou para ir às putas comeu uma toxicodependente desdentada que depois de muito regatear lhe fez o serviço por 5 euros. Ainda antes de vir para a residência episcopal onde tem o seu humilde quarto de viúvo como gosta de dizer, foi buscar a roupa lavada à casa da Dona Genoveva que é a governanta externa. A mulherzinha mora à entrada de Fátima, o Cónegos passou por lá e não deixou de montar a pobre senhora que nos seus setenta e dois continua operacional e sem conseguir dizer que não a uma batina. Chegado à residência, pediu ao Frei Domingues que se penitenciasse, o pobre franciscano marrequinho e semi atrasado mental, lá teve que se ajoelhar para chupar a pila ao Cónego.
O Domingues acabou mesmo a tempo do banho do Cónego. Eu assim que ouvi a palavra banho assustei-me. Quando a roupa do Cónego Vieira foi despida e empilhada no chão da casa de banho agarrei-me mais ao cabelo encaracolado onde estava. Fiz casa, precisamente na parte de baixo do testículo direito do cónego e preparei-me para o pior Esperei para a invasão de agua quente e sabão. Afinal não foi tão mau quanto isso. O banho foi ligeiro, em vez de quente a agua era morna e em vez de sabão o Cónego esfregou-me mal e porcamente com um gel de banho espanhol que a Dona Genoveva compra na loja dos trezentos. Depois do banho o cónego mudou de cuecas e de meias e foi directinho para a missa. Rezou, comungou, cantou e abençoou os ignorantes que encheram a capelinha das aparições..
No sábado depois de ver o Benfica, foi jogar às cartas. O Cónego Vieira juntou-se com mais quatro amigos todos padres e ficaram a jogar à lerpa até às sete da manhã. Beberam duas garrafas de whisky. Já o dia ia alto quando o Cónego voltou para a residência, chegou e foi cagar uma diarreia que empestou os corredores. Tomou duche de agua fria para lhe passar a ressaca. Nem sequer usou o gel de banho – para mim foi um descanso. Fez a barba no duche e cortou-se no queixo, gritou foda-se e urinou para a o lavatório só para chatear o Frei Domingues que faz a limpeza. Lavou os sovacos com oldspice e correu para a igreja. Pelo caminho e acelerando o seu onda civic bebeu uma coca-cola que o fez arrotar como um sapinho de 5 quilos. Por mais que mantivesse a boca fechada os seus arrotos ácidos ressoavam como trovoada ao longe e ensombram a missa das nove.
Quando chegou da missa por voltas das onze vinha a precisar de descanço. Chamou o Frei Domingos para que o chupasse e deitou-se logo a seguir. Dormiu até serem perto das 8 da noite.
Quem não sabe fica a saber, mas sair em Fátima num domingo à noite é lixado. O altar do mundo parece o Algarve à chuva de Inverno -- completamente desolado... Por isso o Cónego Vieira decidiu ir até Vila Nova de Ourem. Comeu um bitoque solitário no café central e bebeu 4 canecas de cerveja. Na televisão comentadores desportivos engravatados a diziam a mesma coisa pelo direito e pelo avesso. Pediu um whisky para acompanhar a conversa. Depois outro. A sua veia benfiquista veio ao de cima. O café fechou depois da uma e meia e o Cónego foi o ultimo cliente a sair. O empregado que é do Sporting até fez o favor de lhe dizer que o golo do Benfica afinal não era roubado. Satisfeito e bem bebido, foi tocar à campainha do nº26 da Rua Professor Cavaco Silva. Uma vivendazinha discreta que funciona como bordel quase exclusivo para os religiosos de Fátima... como já passava das duas não lhe abriram a porta. O Cónego ficou tão furioso com a desfeita que deu duas voltas pequena vilazinha à procura de um cão ou de um gato para atropelar. Como não conseguiu matar que mexesse a sua frustração aumentou. Por isso quand chegou à residência em Fátima, sodomizou com brutalidade o pobre Frei Domingues e no fim deu-lhe um pontapé no rabo e um murro na marreca do frade que se quixou com um ai surdo e desapareceu no corredor... Adormeceu já próximo das 4 da manhã.
Na manhã de segunda às 9 horas já aqui estávamos no gabinete de imprensa. Estava marcada uma reunião para as dez que começou ao meio-dia. Os jornalistas do costume vieram próximo da hora de almoço para comerem à conta do episcopado. Às 4 da tarde o Cónego voltou com uma senhora da Rádio Renascença que pretende fazer uma reportagem sobre “o que significa estar casado com Deus no século XXI”. Mal entraram na sala de reuniões percebi o que ia acontecer... Quando o cónego se despiu aproveitei e vim para aqui para o teclado.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Infelizmente só hoje, que é quinta feira é que pude mandar este mail...
A razão deste meu atraso é que o cónego passou os últimos três dias na praia de vieira da Tocha com a jornalista da Renascença. Ele explicou ao bispo que ia para Lisboa ajudar na documentação da reportagem. Ela disse la para a Redacção que tinha de ficar mais dois dias em Fátima...
Alugaram um quarto na praia da Tocha e passam três dias a fornicar. Deu direito a tudo quanto é perversão. A Jornalista da renascença deixa a anos luz todas as profissionais que conheci e vi trabalhar!!! Quais brasileiras, quais ucranianas... se os tipos das casa de alterne transmontanas soubessem iam recrutar a mão de obra toda à renascença!!! Até velas da missa foram usadas. Para não falar da chuva dourada sobre a batina... Um mimo. Alguns dos momentos mais significativos ficaram guardados para a posteridade na câmara digital que o episcopado comprou e que o cónego Vieira levou.
A festa durou até ontem à tarde quando a senhora teve que voltar para Lisboa porque o marido que é jornalista na TVI ameaçou em vir ter com ela a Fátima se a gaja não voltasse para casa nessa mesmo dia...
Foi um Cónego Vieira cansado e solitário que voltou da Tocha. Nem sequer parou nas putas da estrada nacional. Deitou-se cedo e levantou-se cedo para vir para aqui para este diminuto gabinete de imprensa...
Está desde as 9 da manhã a passar as fotografias dos últimos três dias para o computador. Há uma em que a gaja da Renascença está de gatas e despida e o cónego quer partilhar o monumento que é aquele cu com alguns amigos. Também vai mandar para os antigos colegas do seminário uma outra em que aparece a senhora de corpo inteiro --- para que aqueles rotos vejam o que é bom!!!! Como algumas das fotografias estão realmente escaldantes o Cónego não resistiu a abriu a braguilha para sujar-se a si próprio com o pecado da masturbação...
Aproveitei a oportunidade para saltar para a secretária...escondi-me no teclado e esperei. Agora que o Cónego foi cagar envio para o Riky este textozinho, que vai publica-lo logo já a seguir.
O tipo puxou o autoclismo. Tenho de me esconder.
Xiri.
Flatulências a partir de 28/01/2006