quinta-feira, fevereiro 16, 2006

O Biguana foi em trabalho para Madrid

Quando recebi este mail do meu amigo Biguna percebi que tinha de partilha-lo convosco.

(...)
Cheguei cedo ao aeroporto, cerca de 1h30 antes da partida do avião. Dirigi-me para a porta de embarque onde peguei no meu livro (de viagens do Bill Bryson, muito bom) e dei inicio ao meu ritual de controlar as gajas que vão no mesmo avião que eu, sonhando que poderia ser hoje que a melhor gaja do avião iria sentar-se ao pé de mim e me "obrigaria" a ter sexo com ela a 30000 pés.

Não aconteceu, é pena, mas se ainda não perdi a esperança ao longo das cerca de 30 vezes que viajei de avião, também não a vou perder agora. Tb diga-se que hoje as probabilidades eram escassas, gajas podiam contar-se pelas unhas dos pés, e boas nem vê-las.



A maioria dos passageiros eram empresários tugas com esperança de conseguir vender as suas empresas falidas a alguma multinacional espanhola ou gestores espanhóis que vem 1 vez por semana ver como está a produtividade na sucursal portuguesa da sua empresa, ou aplicar um downsizing...
Foi um espécime destes que se sentou ao meu lado. Menos mal. Ainda tinha bem presente na memória a viagem desde Genebra, bem como o sósia do Graciano Saga que se sentou ao meu lado, com as suas calças Wrangler 3nºs abaixo do tamanho ideal, o cabelinho a Maradona nos anos 80 e o intenso cheiro a Old Spice.
Já para não falar que o sr. decidiu partilhar comigo e com metade do avião todos os toques poli-merdo-fónicos do seu telemóvel, incluindo alguns que me pareciam excertos de músicas do próprio Graciano Saga.


Chegado a Madrid Barajas e depois de caminhar os quase 10km que separavam a gate da saída do aeroporto, aproximei-me da praça de taxis onde constatei o chaço que me iria transportar, um Peugeot não-sei-o-num a cair de podre, dos que fazem inveja a qq Mercedes de Lx, daqueles com 20 anos e 1 bilião de kms. Pelo cheiro no interior tirei mais 2 elações: que a lei anti-tabaco do sr. Zapatero é pra tuga ver, e que afinal não são só os franceses que não se banham.

Prosseguindo, viro-me para o taxista no meu belo espanhol e digo "Buenas noches, Hotel Foxa, 3 Cantos", ao que o sr. responde "hummmm, connosco a 3 Cantos, pero no al hotel. Pero no hay problema. Vamos!". Assustei-me, juro que me assustei, a última vez que estive em Madrid andei duas horas perdido dentro de um taxi, com o mapa na mão a tentar indicar ao taxista onde era o hotel que ambos desconhecíamos. Hoje as coisas correram um pouco melhor, mal saímos da autoestrada para 3 Cantos vi o néon a indicar o hotel. Que sensação de alívio, e acho q para o taxista tb...

Depois de jogar as malas para dentro do quarto de hotel (bastante luxuoso diga-se, parecia uma suíte de um palacio vitoriano), achei boa ideia ir comer qq coisa. Saí do hotel e descobri que estava no meio de nenhures e que bares não deviam existir num raio de vários kms. Fiquei-me pelo bar de hotel onde pedi uma sandes de salmão e uma caña de Mahou. Durante momentos ponderei no que o sabor daquela cerveja me fazia lembrar, mas mal vi exposta uma garrafa de Osborne, senti a bexiga cheia não precisei de pensar mais.

De volta ao quarto fiz um pequeno zapping na tv, onde pude (re)constatar a obsessão mórbida que os espanhois tem por programas de imprensa cor-de-rosa e por reality shows. O melhor que se pode dizer da TV espanhola é que nos dá a sensação de um estado de coma sem a preocupação e o incómodo.


Assim termina um dia em viagem como tantos os outros... Mas antes de terminar vou experimentar o jacuzzi instalado na casa-de-banho do quarto!!!

3 Cantos (Madrid), 13 de Fevereiro de 2006

3 Comments:

Blogger GONIO said...

Grande aventura!
Costumo andar de avião (férias Lisboa - Madeira e vice-versa), e a minha preocupação primeira é "aquilo" não abanar muito. E embora de vez em qdo vá vendo uns documentários sobre aviões, e saiba que é o transporte mais seguro do mundo, não consigo resistir a uns nervos preliminares...
De futuro vou fazer um "estudo sociológico" sobre a população aviadora... Já fiz uns estudos destes nos centros comerciais e é de um gozo brutal.
(http://gonio.blogspot.com)

11:18  
Blogger MAFE said...

...é pena que sejas tão desatento e tão machista, porque senão até podias curtir em vez de fazeres de conta que curtes.....
PS: elação é uma coisa que tu não tens, o que tu queres dizer é ilação!

12:59  
Blogger Cleared For Take Off said...

Acetato, anda de metro e toma cuidado com os gatunos e horas de ponta que é amis seguro. O avião é o único meio de transporte com um minimo de interesse, tirando a parte de cruzeiro. Acho brutal a parte entre o pushback e estarmos no ar, para além da vista. Tenho mais medo de andar num mercedes 190D de 1988 podre com um taxista alcoólico na segunda circular do que voar nom A320 novo da TAP com um cmdte com 10 000h de voo. Vê o meu blog.

Voltando ao que interessa, o biguana já era tempo era de ter um blog!

10:37  

Enviar um comentário

<< Home

Flatulências a partir de 28/01/2006