segunda-feira, julho 31, 2006

La Habana e o robalo cabeludo


Seguindo pela 5ª Avenida, um bom par de quilometros depois da Marina de Hemingway, vira-se à esquerda e chega-se ao bairro de Santa Fé. Subúrbio pobre com casas pequenas e hortas minúsculas. A selva começa aí e abraça a Havana pelo lado nascente. Construções humildes de gente humilde. Vegetação eufórica de vida que cresce eternamente verde por todo o lado. Pisos térreos com janelas sem vidros e portas sempre abertas para que a brisa cumpra a sua função de arrefecimento.
Passei por ali em finais de 98. Sentado na cadeira de baloiço, recuperei da escarlatina e aprendi a fumar puros nessa casa. Sentava-me, acendia o charuto e assistia ao crepúsculo rápido olhando os fios eléctricos que passavam por cima da casa em frente.

Desde o primeiro dia que fiquei naquela casa, que reparei nos pássaros. Pela primeira vez vi em liberdade abutres. Neste caso, urubus. Passarões negros, do tamanho de perus, com o pescoço e a cabeça despidas de penas, mostrando a pele vermelho vivo. Quase todos os dias, ao final da tarde faziam a reunião do bando, sobre a casa da frente.

Só mais tarde vim a perceber porquê. A casa que ficava do lado de lá da pequena rua de terra batida, em frente à minha cadeira de baloiço, era uma agência funerária.
Em Cuba os velórios são laicos e feitos nas agências funerárias. No caso de haver corpo, os urubus apareciam para velar o morto. Se não houvesse corpo na casa em frente da minha, os urubus faziam a sua vidinha por outros sítios e não apareciam em Santa Fé.
Quando poisavam nos fios, vinham avisados por um cheiro difuso de carne em putrefacção. Entre o cheiro a estufa, a tabaco e a diesel falsificado só os urubus distinguiam o cheiro a morte.

Mais ainda do que pelo aspecto tétrico da questão, fiquei impressionado pelo instinto de sobrevivência destes pássaros.
Passaram quase oito anos e não voltei a Cuba – tenho saudades do cheiro a estufa, a tabaco e a diesel falsificado.

Num outro continente, um mar de milhas a nordeste de Santa Fé, na praia do Barreiro, uma das barracas foi transformada num bar.
Melhor: uma das barracas foi transformada numa taberna. Passo por lá quase diariamente quando ao final do dia vou andar de bicicleta.

O dono da barraca transformada em taberna é um tipo que vive de esquemas desde que a mãe o pariu. Abriu a taberna ilegalmente, vende cerveja que refresca em bidões de gelo. Meteu um ucraniano grandalhão a fazer o serviço das mesas e passa o dia descalço em calções de banho a coçar a micose.

Foi com um arrepio de calor, entre a febre e a saudade que da praia do Barreiro me vi transportado para Havana e me lembrei dos urubus nos fios eléctricos.
Aqui junto ao Tejo, voltei a ver o bando de abutres. Encostados ao balcão da tasca mantinham a pose de quem espera poder comer.

Desocupados permanentes. Ex-presidiários cinquentões. Chulos profissionais. Reformados por invalidez que se dedicam à pesca. Empreiteiros clandestinos. Toxicodependentes recuperados à força de bagaço. Sucateiros receptadores. Profissionais da baixa permanente. Vendedores de carros usados e material roubado. Velhos gaiteiros e pescadores de estuário.

Em Cuba a lição dos abutres ficou aprendida. Não vi o morto mas percebi que havia ali carne em decomposição.

Continuei a passar pela taberna improvisada com mesas e cadeiras entre o lodo. Todos os dias vou andar de bicla entre os cães vadios e o Tejo que sobe e desce em função da lua.

Na semana passada, um tipo que eu conheço dentro da tasca improvisada gritou o meu nome.
Conheço-o do ginásio e das artes marciais. Foi bófia, mas como bebia em serviço, correram com ele. Agora é chulo a tempo inteiro. Especialista em raparigas do leste.
Em tronco nu, abanado o braço das pulseiras de ouro voltou a chamar-me com a cerveja na mão. Nas costas um leão tatuado anunciava o amor pelo sproting. A garrafa gelada também gritou o meu nome.

Porque andar de bicicleta é uma actividade que faz desidratar, parei, desci, encostei a máquina à parede da barraca e a barriga ao balcão.

-- Riki, já sabes que comigo jogas em casa – foi assim que ele começou a conversa. Pediu uma cerveja para mim e depois levou-me às traseiras da tasca para me mostrar as bonecas.

O quintal por trás da barraca é directamente a praia. Viradas para Lisboa, mais ou menos em frente à Praça do Comércio as mulheres esperavam por melhores dias. Junto às ondas mansas do Tejo, uma dúzia de mulheres louras e envelhecidas. Sentadas e declinadas em cadeiras e espreguiçadeiras de plástico espreguiçavam a apanhar sol nas carnes flácidas.

-- Vê lá se queres ir beber um whisky ao reservado? Só tens de escolher a companhia.
Na barraca ao lado, funcionava “o reservado”.
Uma cortina de fitas impedia a visão do interior e dos necessariamente minúsculos quartos.

Rejeitei a oferta do whisky e da companhia. Desculpei-me com a pressa.

Nesse momento as cortinas do reservado abriram e um estranho par saiu do escuro para a luz do sol.
Debaixo do braço de uma eslava com cerca de dois metros e mais de cento e vinte quilos, vinha o homem que vende o melhor peixe da praça do Barreiro. A mulher vinha em biquini florido e trazia o ar de enfado característico das putas velhas.
O peixeiro sorriu-me com os dentes que lhe restam entre o comprometido e o satisfeito.

Já na sombra da taberna, na outra ponta do balcão enquanto recebia a sagres gelada da mão do empregado, aquele que costuma vender o peixe gritou para mim de modo a que todos o ouvissem:
-- Ó Riki em sessenta anos de vida, dezoito no mar e três na guerra, nunca tinha visto tanto pintelho louro!!!

A assistência riu, e o taberneiro passou o pano por cima do balcão de madeira suja.
Tambem eu ri. Depois, vagamente agoniado do calor, acabei a cerveja, voltei a montar na bicicleta e fui à minha vida a contar os tostões que preciso para voltar para Havana.

Acontece que depois deste episódio na barraca da praia do Barreiro, tenho tido um pesadelo recorrente. Quando este sonho me ensombra as noites, acordo a suar e a cuspir.
Vou beber agua mas tenho dificuldade em voltar a adormecer.

Eu conto o sonho:
Estou sentado na varanda da casa de Santa Fé a comer um lindo robalo. Robalo legitimo pescado no Tejo. Assado por mim no carvão. Fresquíssimo… Vejo-me sentado à mesa. No sonho cheira a trópicos depois da chuva. Começo a arranjar o peixe e a tirar as espinhas. Em cima da mesa, à minha frente está uma Bucanero gelada e um rádio roufenho toca salsa. Depois vem a parte assustadora do sonho: em vez de espinhas, entre a carne branca do robalo, estão crespos pintelhos louros…Quanto mais eu tiro com a ponta da faca mais pintelhos louros aparecem…

Será que para parar com este terrivel pesadelo vou ter de deixar de comer peixe grelhado?
Ou terei mesmo que voltar a Cuba para, com a ajuda de uma Santeira esconjurar a maldição do robalo pintelhudo???

18 Comments:

Blogger Cleared For Take Off said...

Em grande, já tinha saudades destas conversas de putas e vinho verde.

22:31  
Blogger blimunda said...

começo a desconfiar de tanta volta de bicla ao fim da tarde...

23:44  
Blogger Ze da Penalva said...

Muito Bom!
A crónica tem o misterioso perfume do Caribe ali derramado no Bico do Mixelhoeiro.

11:23  
Blogger CM said...

Muito boa esta!
Lá terás que ir ao Caribe esconjurar esses fantasmas. Deixar de comer peixe grelhado é que nunca!
Beijos

10:25  
Blogger R. said...

por isso é que estavas com uma cara estranha hoje ao almoço? Mas não era robalo!

17:42  
Blogger Unknown said...

Estás cada vez melhor amigo! A tua escrita em qualidade e criatividade é das melhores coisas que tenho lido.

Espero que esteja tudo bem contigo! Beijinhos!

16:04  
Blogger L de Luis said...

Fantástico relato ao sabor da brisa ribeirinha na Margem Sul, quase cinematográfico, mto bem escrito e com um toque kitsch no colorido da maltosa e no louro das gajas. Gostei mto.
Apetece flashar esse spot e todos esse personagens.
P.S. Quanto às agrugas dos pesadelos apenas posso dizer que sou fã da depilação integral :)

22:18  
Anonymous Anónimo said...

Se queres bom peixe, pintelhudo ou não, voa para sul ;-)

Fortes

00:52  
Anonymous Anónimo said...

Hello
That was useful info...thanks and Welcome to live chat FETISH. If you search the aldactone? Click here - aldactone
Enjoy

13:42  
Anonymous Anónimo said...

Hi. Alone on Valentine's Day? Adult Chat & Love Try to find partner in your area!
for fun

16:23  
Anonymous Anónimo said...

Search engines try it

Casino
viagra
tramadol
cialis

12:13  
Anonymous Anónimo said...

Hello. Use these helpful search engines TFO search & movie pages and try to find all you need in your area!
Enjoy

23:14  
Anonymous Anónimo said...

Latest news. Viagra, cialis

viagra
cialis
tramadol

06:51  
Anonymous Anónimo said...

This is very interesting site... Exhaust systems for cadillac seville big tits boobs breasts paysite Maytag counter depth refrigerators Lesbian+stories+and+photos http://www.bontrilbuy.info New york city facelift surgery men

21:33  
Anonymous Anónimo said...

Looking for information and found it at this great site... »

04:32  
Anonymous Anónimo said...

DOn't you know what else can help ? Because I do not know to whom address.
I was prescribed Carisoprdol which I bought here. But maybe I bought something wrong?
cialis
levitra
or here phentermine

18:32  
Anonymous Anónimo said...

For Greetings give sweets!
All have other problems... Many have a health... But, unless probably to refuse a female body?
Welcome to sexy teens | movie pages | picture pages | webcam movie | adult friend finder.
Here pages devoted to health are published.
It is the large search robot, which can help to receive this or that information and as to get this or that goods!
Tramadol | Phentermine | Buy Xanax | Xanax and all that is necessary.
G'night...

21:32  
Anonymous Anónimo said...

http://www.You4Dating.com 100% Free Dating website!

1.Our Website - is a great way to find new friends or partners, for fun, dating and long term relationships. Meeting and socializing with people is both fun and safe.

2.Common sense precautions should be taken however when arranging to meet anyone face to face for the first time.

3.You4Dating Free Online Dating ,You4Dating is a Free 100% Dating Site, There are No Charges ever. We allow You to Restrict who can Contact You, and Remove those unfit to Date.

4. You4Dating is Responsible for Creating Relationships per Year proving it is possible to Find Love Online. It will Quickly become a Leader in the Internet Dating Industry because of its Advanced Features and matching Systems,and most of all,Because is a 100% Free-There are No Charges Ever.

5. You4Dating is an International Dating Website Serving Single Men and Single Women Worldwide. Whether you're seeking Muslim,Christian,Catholic, Singles Jewish ,Senor Dating,Black Dating, or Asian Dating,You4Dating is a Right Place for Members to Browse through, and Potentially Find a Date.
Meet more than 100000 Registred Users

6. Multy Language Dating Site.

http://www.You4Dating.com

20:40  

Enviar um comentário

<< Home

Flatulências a partir de 28/01/2006